Viaturas-da-Policia-Civil-RN-18-640x424

    O promotor Wendell Beetoven Ribeiro Agra, da 19ª Promotoria de Justiça da Comarca de Natal, recomendou nesta quinta-feira, 4, que todo o efetivo da Polícia Civil do RN trabalhe neste final de semana nas eleições gerais.

    Texto nesse sentido foi enviado à Secretaria de Segurança Pública e da Defesa Social (Sesed) e à Delegacia Geral de Polícia Civil. Agora, ambos os órgãos têm dois dias para informar se seguirão ou não a determinação.

    Por ela, os policiais civis já atuariam neste sábado,6, iniciando em áreas sem reforço das forças armadas federais e da Polícia Militar.

    Na manhã desta quinta-feira, o promotor Wendell Beetoven justificou que o reforço da Polícia Civil seria um complemento importante, tendo em vista a atuação do crime organizado nas eleições.

    Pelo WhatsApp, ele escreveu o seguinte:

    “O reforço das Forças Armadas é importante e necessário, mas direcionado a algumas cidades do interior do estado. Os militares federais têm uma atuação limitada à segurança da eleição, não se envolvendo, nesse tipo de operação, na repressão à criminalidade comum – que “não dá trégua” nem no período eleitoral. Por outro lado, com o deslocamento de policiais militares da capital para o interior e com o emprego de parte da tropa na segurança dos locais de votação e de apuração, é natural que diminua o efetivo disponível para o patrulhamento de rotina e a repressão imediata aos crimes comuns. Por isso, é necessário, neste final de semana, o emprego de todas as forças policiais disponíveis, tanto estaduais quanto federais”.

    Indagado se o reforço teria como foco principal Natal, o promotor respondeu:

    “Natal possui atualmente áreas sob forte influência de facções criminosas já mapeadas pelas polícias militar e civil. O receio é que, além dos crimes comuns que essas facções praticam no cotidiano, os seus integrantes tentem, de alguma forma, coagir eleitores a votar ou não votar em determinados candidatos. A presença ostensiva das forças policiais nessas localidades é essencial para assegurar o voto livre e, portanto, o exercício do dever democrático”.

    Perguntado pela reportagem se dois dias não seriam pouco tempo para que a Polícia Civil organizasse uma operação das dimensões propostas pelo MP, o promotor afirmou o seguinte:

    “A mobilização é possível. Muitos policiais civis já foram, inclusive, mobilizados no Plano Operacional já estabelecido. A recomendação visa aos demais, sobretudo os lotados nas delegacias de Natal e os que trabalham em setores administrativos, que podem ser facilmente convocados hoje e amanhã pelos respectivos chefes”.

    AgoraRN

    comentarios